jusbrasil.com.br
5 de Abril de 2020

Nem tudo está perdido, quando o assunto é advocacia valorizada

Abaixo um caso de estagiário valorizado

Maico Volkmer, Advogado
Publicado por Maico Volkmer
há 3 meses

Falei há alguns dias sobre a (des) valorização da advocacia, nesse artigo aqui. Se você não leu, passa lá e deixa sua opinião.

Hoje, casualmente, veio o "cala a boca". Vi uma vaga publicada num grupo do Facebook.

Então, como eu critiquei as vagas que ofereciam R$ 1.700,oo e R$ 2.000,00 a advogados, preciso, por questão de princípios, enaltecer a vaga que oferece R$ 800,00 a um estagiário, com possibilidade de alcançar R$ 1.200,00 em seis meses. A meu ver, nesse contexto, é mais vantagem ser estagiário do que advogado. Eu preferiria trabalhar home office por R$ 1.200,00 mais participação nos resultados, do que presencial por R$ 1.700,00.

Óbvio que é uma comparação sem pé nem cabeça, estagiário é estagiário, advogado é advogado. Não que eu queira ser superior, mas por uma simples questão de responsabilidade. O advogado responde perante a classe, perante o Conselho Profissional e perante os clientes. Já o estagiário não. Ele é supervisionado e a responsabilidade é do profissional supervisor.

Quanto ao salário e a possibilidade de crescimento, parece pouco, mas é um incremento de 50%. Você conhece alguém que, em alguma situação, ganhou aumento de 50% em seis meses? Não é impossível, mas é raro.

Outra questão que quero chamar atenção, positivamente, claro, é a possibilidade de trabalho home office. No meu Linkedin, o assunto é pauta constante, haja vista as transformações causadas pela internet. É uma modalidade com tendência forte de crescimento e, para ser sincero, é a primeira vez que vejo essa oferta para estagiários.

Fico sem palavras para enaltecer o escritório que está oferecendo a (s) vaga (s). Para evitar qualquer situação constrangedora, não divulguei o nome, mas deixo registrado o meu reconhecimento.

São atitudes como essa que valorizam os futuros profissionais da advocacia e que nos mantém esperançosos da profissão que escolhemos e para a qual dedicamos um grande tempo de nossas vidas (no mínimo cinco anos de graduação).


Quer trocar uma idéia sobre o assunto? Pode falar comigo no telegram.

16 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Que reflexão bacana, Maico!

Enquanto alguns culpam o mercado, a OAB e o mundo, outros têm a consciência de que a mudança começa em nós mesmos, e que é valorizando o próximo que a gente se valoriza.

Ótimo texto!

Abraços! continuar lendo

Grato demais pelo seu comentário, Pedro.
Penso exatamente dessa forma, não adianta culpar os outros porque isso não resolve nada.

Abraço! continuar lendo

Hoje eu vi uma colega relatando que ofereceram a bagatela de R$ 1.200,00 de salário fixo para ela. Se pudessem, pagariam com palito de picolé. continuar lendo

Não tem nem o que dizer, dra. O estagiário do caso acima receberá isso depois de seis meses de estágio.

Será que está sobrando mão de obra de advogado e faltando de estagiário? Quero ver os defensores da oferta e da demanda justificarem essa ou botarem a culpa na OAB. continuar lendo

"Será que está sobrando mão de obra de advogado e faltando de estagiário?"

Sim, está. O número de advogados no mercado é bem maior do que o de estagiários com qualificação para peticionar, por uma questão estatística óbvia - todo ano entram milhares de novos advogados no mercado, mas o número de estagiários disponíveis permanece relativamente constante. Aliás, você realmente acha que "estagiários" desse anúncio não vão desempenhar exatamente as funções de um advogado, isto é, peticionar? Que outro tipo de estágio pode ser feito em "home office"? Os donos desse escritório na verdade estão é economizando horrores em mão de obra.

Enfim, boa sorte aí tentando revogar uma lei econômica básica. continuar lendo

Erick, se você acha que a função de advogado é só peticionar, você está enganado, esse é o primeiro ponto. A não ser que você esteja falando de escritórios de massa, mas já deve ter percebido que eu não simpatizo muito com esse conceito.

Segundo ponto, eu não estou tentando revogar uma lei econômica básica, estou tentando conscientizar as pessoas de que devem se valorizar ou ficar reclamando a vida inteira da OAB, do mercado e de não sei mais o quê e dizer que a advocacia não é sustentável e que é melhor procurar outra coisa pra fazer... continuar lendo

R$ 1.200,00 + VT era que eu ganhava quando era estagiário da Procuradoria do RJ trabalhando meio período. Acho que por isso não aceitei me submeter as ofertas indecentes de escritórios que queriam me pagar quase isso pra tomar conta de uma quantidade absurda de processos, ter hora pra entrar e não ter hora pra sair. To fora disso. continuar lendo

Pois é, Ramon. Pelo jeito tá valendo mais a pena ser estagiário, mas vamos lá, não podemos parar... continuar lendo

Apenas um fato: um metalúrgico em minha cidade (vou, propositalmente, omitir), para atuar em serviços básicos, em multinacional, inicia com o salário bruto de R$ 6.800,00. continuar lendo

Sim, Marcel, mas aí temos que entender que este caso também é uma exceção. Existem advogados que também recebem salários altos, o que eu questiono é a média baixa e esse caso do estagiário, se comparar com a média, é uma boa remuneração, ainda mais por proporcionar trabalho home office. continuar lendo